A Importância da Música na Saúde Mental

Atualizado: 27 de out. de 2021

Platão já dizia: "Primeiramente devemos educar a alma com a música e, a seguir, o corpo através da ginástica.” E Nietzsche não estava errado quando afirmou que a vida sem a música seria um grande erro.

E assim digo, música é paz, ponto de reflexão, resgate e me sujeito a dizer: A plenitude de sentir.

Já se perguntou como seu corpo funciona no contato com a música? E qual é a influência da música para a saúde mental?

Bom, as pesquisas recentes mostram que ao ouvir música é acionado uma série de circuitos cerebrais, como por exemplo nas áreas da cognição, emoção e motora.

Quando você ouve uma música, o que você sente? Quais seus movimentos(sentimentos)? o que desperta em você?

Comumente realizo trabalho social em lar de idosos, onde juntamente com os idosos eu toco violão e canto e certa vez uma cena me chamou atenção, observei uma senhora entreabrir os lábios no ritmo de uma canção, o que me surpreendeu é que a senhora devido a idade, tinha dificuldades motoras e Alzheimer, a mesma só permanecia sentada olhando vagamente para longe.


PsicoMusicar e Musicar na Escola - ALINE VICENTE


E naquele dia ela estava olhando para mim, me aproximei, parei de tocar, fiquei em silêncio e então pude ouvi-la cantar: “Índia seus cabelos de nos ombros caídos, feito como a noite que não tem luar…” e ela cantou a música inteira e depois me disse: Eu amo essa música, cantavam para mim quando menina jovem.

A cuidadora me comentou assustada que nunca a tinha ouvido falar.

É tocante, me emociono ao falar.

Sabemos então que trabalhar com a música, especialmente aquelas que tem significado, sentidos, que remetem momentos de afeto e carinho, se torna uma maneira eficiente de auxiliar na memória, coordenação motora, linguística, emocional, sendo a música qual for, ela estimula o aprendizado.

Já parou para perceber o quanto a geração atual é dinâmica, realizam várias coisas ao mesmo tempo e se você parar para perceber eles ouvem música tomando banho, jogando, caminhando, dormindo, estudando. E ao fazer essas atividades em contato com a música isso possibilita uma velocidade de sinapses, conexões, interconexões cerebrais com maior frequência comparada com a que as que ocorrem realizando essas mesmas atividades sem o contato com a música.

Esse processo abre caminho para novos aprendizados, amplia a percepção e a captação de estímulos. Não raro os jovens de hoje aprendem tudo muito rápido, diferente de nós anos 70, 80, 90.

Já dei aula de violão, ukulele, violino para mais de 2.430 pessoas, entre elas crianças, adolescentes, idosos… Tive o privilégio de ver o poder que a música tem de transformar vidas. Muito mais que cognitivo e aprendizado, pude vivenciar o transformar de um sonho, o sentido de uma vida e sobretudo a constatação de uma vitória.

Certa vez um aluno adolescente me disse: Professora através da música eu encontrei meu lugar no mundo. Eu senti milhões de borboletas no meu estômago e meu olhar sorriu para ele.

Não é fantástico?

Em resumo, basta um olhar interessado, uma atenção focada e uma uma decisão: A decisão de se permitir sentir.

Já dizia Marcel Proust: “A verdadeira viagem do descobrimento não consiste em procurar novas paisagens e sim em ter novos olhos.”

Então lhe pergunto, como tens ouvido e sentido a música?

Faça dela sua aliada no dia a dia e permita-se sentir os benefícios que a mesma lhe proporciona.

Ouça, sinta, manifeste, Permita-se.

Cada hora é um compasso, cada dia é uma harmonia, e a vida é uma eterna canção.


Texto: Psicóloga Aline Vicente CRP 12/20020


#MúsicaePsicólogia #psicologaalinevicente #psicologiaanalitica #carljung


16 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo